InvestimentoNotícia

Vitta Gold lança linha de produtos para cabelo no Egito

A Silk Express é uma linha para alisamento de cabelo sem uso de formol, especialidade da Vitta Gold. A empresa brasileira de cosméticos exporta desde 2012 aos árabes.

A marca brasileira Vitta Gold Cosméticos lançou sua nova linha de produtos para cabelo, a Silk Express, no Egito. A cerimônia de lançamento recebeu cerca de 2 mil pessoas no Cairo, no dia 2 de fevereiro, entre parceiros da empresa e influencers egípcios. A linha orgânica é focada em alisamento e um de seus diferenciais é que não leva formol.

Cecilia Araújo (ao centro na foto), CEO da Vitta Gold, relatou à ANBA que o primeiro envio da linha ao Egito foi de 500 litros. A brasileira vai, agora, acompanhar o desempenho do produto no país para definir como serão os próximos envios. A expectativa é que a linha seja lançada também em outros países da região. “No caso do Marrocos, existe muita exigência, mas, quando conseguirmos o registro, ele é definitivo. Vamos entrando aos poucos. Normalmente, faço isso. Dependendo do trabalho que os distribuidores fizerem no Egito, poderemos passar também para a Arábia Saudita e outros países”, explicou a empresária.

Araújo trabalha com as marcas próprias, Organic Brazil e Vitta Gold, além de desenvolver produtos através de private label para outras empresas. Com a segunda marca, a empresária vem dando foco maior na exportação há cerca de três anos e esta é a primeira vez que estabelece um distribuidor no Egito.

Parceria com os árabes

A maior parte dos produtos da empresária é voltado para alisamento capilar. “Progressiva sem formol é o nosso forte. A marca Brasil já carrega isso de ‘orgânico’. Eles acreditam que tudo que vem do Brasil é mais natural. E a progressiva sem formol é orgânica. É um apelo bom e que trabalhamos muito. Quando eu comecei há seis anos, o Egito já estava com essa demanda do ‘sem formol’”, explica a CEO.

No lançamento, a Vitta Gold fez demonstrações dos produtos

O bom relacionamento com os egípcios é uma das bases da Vitta Gold no mundo árabe. Desde 2015, pelo menos uma vez por ano a empresária viaja ao Egito. “O bom do egípcio é que ele está no mundo inteiro. O início de tudo foi com os egípcios, eu passo dias com eles, visito lojas, para entender como é o mercado. Todo feedback deles é muito importante. Tenho uma gratidão eterna por eles”, declara a empresária.

Outro alicerce do trabalho que a marca brasileira vem fazendo é a participação em eventos globais como a Beautyworld Middle East, que ocorre em Dubai. “No ano passado, foi muito bom estar na feira. Quando começamos, eu pensava que era caro, que não ia ter saída lá, mas eles pagam mesmo. É caro para enviar o produto para lá, mas eu me surpreendi porque eles gostam de comprar tudo da mesma linha”, afirmou.

Em exportação, o Oriente Médio responde por 90% dos produtos negociados pela marca. “Minha ideia é trabalhar bem forte no mundo árabe. É onde eu sinto que me dou melhor. Sou bem recebida, tenho respeito, amizade e confiança deles. São coisas que a gente conquista com o tempo”, destacou a empresária.

Desde 2012 vendendo aos países árabes, Araújo vê o mercado como dinâmico e acredita que para negociar é preciso dedicar tempo a cada etapa. “Quando você entra para fazer exportação, você tem que ter a consciência de que a precificação tem que ser diferente, tem custos caros. Eu só consigo dar respaldo ao meu cliente porque eu penso nisso. Negociação é muito mais complexo do que parece”, concluiu Araújo.

Este ano, Araújo quer aproveitar a viagem para a Beautyworld e ampliar sua rota a países como o Omã. “Quero visitar as pessoas com quem ando conversando para fechar parceria”, relatou a empresária, que já fechou seu primeiro embarque da linha de spa para o país. A empresa tem produtos também na Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Argélia, Marrocos, Bahrein, além de Catar, onde está negociando com novo distribuidor.

Artigos relacionados

Verifique também

Close
Close